INICIO      QUEM SOMOS      FACEBOOK      BAR DO MORANDO SOZINHO      CONTATO / ANUNCIE

Ultimos artigos:
Empresa cria robô que dobra roupa lavada
Tudo pelo dobro do preço: Dicas para não se dar mal na Black Friday Brasil 2016
Cursos online ajudam a quem mora sozinho
Por que escolher a Zona Norte para morar?
5 Camisetas masculinas iradas para usar no dia a dia

Situações que definem o caráter de um homem - Parte III
[caption id="" align="alignnone" width="400" caption="Caráter: Aspecto da personalidade responsável pela forma de agir de cada indivíduo tornado este, único perante os demais."]Caráter: Aspecto da personalidade responsável pela forma de agir de cada indivíduo tornado este, único perante os demais.[/caption]

Esses dias o Pdh publicou um artigo falando sobre as situações que constroem o caráter de um homem. Alguns dias depois foi a vez do morroida dar sua versão dos fatos. Resolvi estender a discussão aqui no morando sozinho e hoje vou contar pra vocês algumas situações que construíram o meu caráter e tenho certeza que construiria o de um monte de homens e mulheres também.

Antes de mais nada, não quero me passar de coitadinho são apenas algumas coisas que vivenciei que ajudaram a me tornar o cara legal, bonito elegante que sou hoje :p

3º Lugar - Morar Sozinho


Morando sozinho você passa por várias situações que te ajudam a construir seu caráter, principalmente quando você não conta com ajuda financeira de sua família. No meu caso passei por algumas situações um pouco chatas:
- Passar fome/vontade
- Ficar doente a ponto de não conseguir levantar da cama nem pra pegar remédio.
- Ter alguns serviços básicos cortados (água, luz por ex.)
- Acabar a bebida.

O primeiro ano que morei sozinho passei um puta perrenge. Até podia ter pedido ajuda pra minha mãe, não era questão de orgulho, mas tinha medo que ela estaria abrindo mão de alguma coisa pra poder dar conforto pra mim.

2º Lugar - Passar fome?


Sobravam dias no meu mês. Faltava uma semana pro pagamento e eu tinha apenas meia panela de arroz na geladeira. Era muito ruim comer arroz branco sem nenhuma mistura e ainda em uma quantidade pequena. Saia pela casa caçando algumas moedas perdidas e comprava alguns ovos no mercadinho da esquina pra comer com o arroz.

Hoje vou tocar com o @garagem69 e às vezes a gente encara uns restaurantes de beira de estrada com aquelas coxinhas da semana passada, todo mundo passa mal, vomita e etc... e eu lambo o beiço e ainda levo uma pra viagem risos.

1º Lugar - Prestar o serviço militar


O exercito foi uma das coisas que mais construíram meu caráter. São várias histórias que hoje me fazem dar risada, e que também me fazem dar muito valor pras coisas que tenho. Fiz o serviço militar no mesmo ano que comecei a morar sozinho e isso me ajudou muito:

- Marchar seis kilometros no meio do mato e em estrada de terra com mochila nas costas, fuzil, coturno molhado sob um sol de 30º graus, depois de um acampamento sem água, sem comida e com apenas três horas de sono embaixo de chuva.

- Limpar 120 fuzis em uma noite porque não tinha feito a barba (talvez não tinha dinheiro pra comprar um barbeador) e ainda trabalhar o dia todo depois sem dormir.
- Passar fome (outra vez)
- Acabar a bebida (outra vez...)
- Fazer a barba a seco correndo pra não ser pego pelo sargento (pra não ter que limpar os 120 fuzis novamente).

Talvez o que eu tenha escrito aqui nem seja a definição de caráter pra vocês, uma coisa eu garanto a educação e criação que recebi da minha mãe me ajudou a superar todos esses momentos difíceis (principalmente quando acabava a bebida em casa).

Mas e vocês contem ai nos comentários uma situação que contribuiu para formação do caráter de vocês.
Deixe seu comentário:
Comentários mais antigos:
[...] This post was mentioned on Twitter by viniciusjau and otavio021, Haoji. Haoji said: RT @viniciusjau: Situações que definem o caráter de um homem – Parte III Em: http://migre.me/9o6T [...]
Yan comentou em 19/10/2009 às 04:56 hs
Acho que o que mais moldou meu caráter:

4º Estudar em escola pública: eu particularmente sou um típico membro de quase média decadente, minha família já teve uma situação boa, mas decaiu e se tornou pobre. O que fez que eu estudasse em escola pública. O que acho que foi um aprendizado, pois lá você convive com diferente tipos de pessoas de classes sociais diversas, tanto economicamente como culturalmente. E passa por situações diversas que moldam seu caráter, desde se aprender na pele a resolver suas situações sem ter que chamar seus pais, como naquela vez que 8 queriam te bater porque um achou que se tinha olhado torto para ele, a ver pessoas que iam no colégio só pra comer e saber que essa situação é recorrente no país, o que faz você dá mais valor ao que tem.

3º Passar fome: Mas não por morar sozinho, mas por ter uma vida fudida mesmo e viver em uma sociedade onde se vende as belezas do consumismo na tv, enquanto em casa se fica duas semanas comendo batata, arroz e feijão. Isso acho que me moldou no sentido de crer (e buscar) em uma sociedade melhor, onde nem tudo esteja atrelado a situação financeira.

2º Usar o SUS. Nem precisa falar muito se encaixa no de cima, a tv mostrar uma parcela da população de BMW na praia de copa, enquanto boa parte morre nós corredores de hospitais, por causa de um sistema sócio-econômico injusto.

1º Ter que trabalhar: Já dizia meu professor Sebastião, "trabalho cansa, mas enobrece o homem" verdade em essência isso. Meu maravilhoso pai cortou a pensão e o sonho de faculdade se por água abaixo. Tive que começar a trabalhar para não ser despejado de casa e poder continuar com a faculdade, pois apesar de ser federal não dá abrigo para mim e minha familia. Trabalho não é bom, não é mesmo, enquanto meus amigos se vão a bebedeiras, baladas e simplesmente ficam atoa o dia inteiro, eu trabalho. Isso sim, molda seu caráter, te amadurece, te traz responsabilidades e sabedoria que o mundo não é festa. Vejo amigos que não fazem nada o dia inteiro, com da mesma idade 21 anos, e não estão em faculdade, não trabalham e acham que a vida é assim, viver é ficar nas costas da família pra sempre, vivem sem pensar no futuro. Enquanto eu já tenho um dois empregos públicos, um diploma de técnico (por um orgão federal) e quase um diploma universitário (em uma federal) e tenho perspectivas concretas do meu futuro.

Acho que a base do caráter está na família. Minha família mesmo sem ter dinheiro, me mostrou que com esforço e estudo se pode chegar longe. A educação sempre me foi mostrada como forma de mudança social. O que muito vejo como professor que falta aos meus alunos, eles compreenderem que com estudo podem mudar de vida, não tão rápido quanto tráfico, mas para sempre e não temporariamente até a morte chegar antes dos 30.
K-prA comentou em 19/10/2009 às 07:35 hs
Ganhou meu respeito...de fato... sair de baixo das asas dos pais é uma vivencia em tanto... eu não tive uma experiência tão árdua... fui morar sozinho pra fazer faculdade, com grana dos pais... mas era meio que contado...É interessante perceber que o lixo não vai pra lata sozinho... e a louça que vc suja permanece suja até que você lave... e que se não paga alguma conta... cortam o serviço!
Paulo comentou em 19/10/2009 às 07:37 hs
Morar na favela: Nasci e morei em periferia, na maior da Zona Norte de São Paulo, muitos acabam pegando o caminho errado, mas não por opção. Vi amigos de infância morrerem, virarem traficantes, mendigos, vi tiroteios, assaltos, mas também vi coisas boas, pais e jovens que trabalham HARD, boas manifestações e ações comunitárias, há também quem contradiga mas a melhor infância que um criança pode ter é na favela. Isso me fez abrir os olhos e buscar algo que seja bom pra mim, andar pelo caminho certo, hoje trabalho hard e estudo, esse ano espero passar no vestibular e entrar na faculdade. Sem contar ter que usar o SUS, escola pública, busão lotado (passando por baixo) com um monte de pedreiro suado.

Trabalhar: O número que eu tenho de colegas vagabundos que não faz nada e não querem nada com a vida é imenso. Comecei a trampar com 15 anos (hj 17) perdi muiiiita festinha, rolês, experiências, mas o que aprendi com o trabalho vale tudo isso, ter sua própria grana p/ não depender dos seus pais, sai pra onde quer (qnd sobra grana), aprendi a acordar cedo e dormir tarde, ter minhas responsabilidades, meus direitos, conheci novas pessoas e aprendi muito com elas, aprendi a receber ordens e ficar calado e principalmente a dar valor ao nosso esforço e a economizar, a ter ética e respeito, nossa cara é inpensável o quanto aprendi com o trabalho.

Não tive uma família boa, pai pedreiro e alcoólotra/fumante, mãe costureira e depressiva sustenando toda a família, irmão vagabundo e que me batia muito por nada, quem salva ainda é minha irmã mas ela já e casada. Enfim, há quem diga que não existe homens com caráter no mundo :/
Roger comentou em 19/10/2009 às 08:04 hs
Há algo que eu vou sempre me lembrar:

Um dia, quando eu tinha lá pelos meus seis, sete anos e estava com febre, minha mãe disse que meu pai iria sair para me comprar um iogurte. Logo vi que ele pegava uma daquelas Tele-senas que depois de um ano devolvem metade do seu dinheiro e foi trocar, para comprar o iogurte.

Na época, a situação era complicada. O país vivia uma inflação absurda e sequer havia um presidente. Mas eu nunca vou me esquecer do gesto dos meus pais comigo naquele dia.
Daniel Vale comentou em 19/10/2009 às 08:29 hs
Belo post.

Cara, com certeza o que formou meu carater foi sair de casa. Eu sei muito bem o que é perrengue e passar semana se alimentado de bolacha agua e sal e contando moedas.

Quando a dona do apê pediu pra gente sair e a gente não tinha pra onde ir foi muito barra. Quase dormimos na rua. Conseguimos um outro apê exatamente no dia em que teriamos que sair da casa e ja tinha uma galera com os moveis lá.

Foi tenso, foi triste...mas eu nao desisti e me orgulho muito disso.

Só o exercito q não enfrentei, mas certeza q deve formar um carater gigante.
Geovane comentou em 19/10/2009 às 10:29 hs
Acho que sempre o que acontece moldam-nos.
Talvez eu ter frequentado uma determindade entidade religiosa até meus 16 anos. E não nascer em berço de ouro tenhm me ajudado a ser o que sou hoje.
Também comecei a trabahar cedo e isso contribuiu bastante.
Um dos ultimos fatos que fizerem eu ter um caracter imenso foi um acidente que passei. Está até lá no meu blog falando sobre isso.
edujanu comentou em 19/10/2009 às 11:13 hs
Caracas, ter servido no EB com toda certeza foi uma das coisas que mais ajudaram a formar meu caráter, depois disso passei pela PM e agora BM, resumindo o militarismo foi o que me formou e claro a criação do meu pai que não difere nenhum um pouco de qualquer campo do EB, no meu caso foram 5 dias de campo com 2 horas de descanso durante esses 5 dias, eu durmi, mas teve gente que foi fzer a barba , limpar cuturno, fuzil,
em 5 dias apenas 2 h que tivemos livres, a vontade para fazer o que queria, descobri que o pior que ter sono é passar sede, que 1,5L de água não dá pra nada, no EB fiz amizades de verdade, todo mundo na bosta e ainda assim tinha gente para ajudar

Gostei desse post.
abraço cara
Lusinha comentou em 19/10/2009 às 14:05 hs
Acho que essas três experiências ajudam a construir quem somos. Num geral, situações difíceis ajudam a construir o que somos.
Bjitos!
Daniel Homer comentou em 19/10/2009 às 23:17 hs
Aê Vinão! Show o post!

Acho que uma das coisas fortes que influenciam, definem e mostram o carater de um homem é atitude! Atitude no dia-a-dia, diante das situações e cenários. Acho que além de passar por coisas (como vc bem mencionou aí em cima), a pessoa tem de demonstrar isso no dia a dia. Já mta gente que passou por mta coisa e mesmo assim não adiantou mto não... esse tal carater aí elas nem sabem o que é e continuam sendo uma bosta!
Guilherme Nascimento Valadares comentou em 20/10/2009 às 13:35 hs
Belíssimo artigo, cara. Não é na sombra e na água fresca que nasce um homem, são nos desafios.

E seus leitores também fizeram contribuições excelentes.
Érika Paula comentou em 20/10/2009 às 15:14 hs
Ah! Bacana isso daí! Nunca passei fome, e meus pais sempre fizeram o possível pelo meu conforto. O que definiu meu caráter realmente, foram os grandes problemas por quais eu passei, na questão profissional e até mesmo pessoal e como eu reagi a cada um deles, não me deixando levar sempre pela maneira mais fácil.
Lulu on the sky comentou em 20/10/2009 às 17:27 hs
Não passei fome, mas tive situação financeira apertadissima em casa e te falo, são situações como essa q a gente aprende a valorizar as mínimas coisas.
Big Beijos
Diego Oliveira comentou em 21/10/2009 às 00:49 hs
Com certeza o que me ajudou a definir o meu caráter foram meus pais e as atitudes deles, mais por parte de meu pai, as atitudes dele sempre certas e exemplares em diversos aspectos formam grande parte do que sou hoje. Minha mãe contribuiu com a sua infinita bondade (ás vezes eu duvido). Bom sem Eles eu não seria nada hoje...
andre trindade comentou em 21/10/2009 às 10:32 hs
antes peço desculpas,caso meu comentario possa te ofender, mas fui direcionado até aqui pensando se tratar de algo de fundamento...
indo ao ponto: voce ainda tem muito que aprender com a vida... portanto nao venha trazer suas insignificantes experiencias querendo compartilhar com os outros, guarde-as para si mesmo... assim estaras demonstrando mais ainda teu carater, e talvez daqui a 10 ou 15 anos tu consiga tambem escrever com qualidade, e sem querer ofender aos teus fãs, que devem ser tao iguais aqueles que gritam ronaldo, imitando a sensação do momento ainda em muitos lugares do brasil, chamado zina.
e ja perdi meu tempo demais aqui
Vinicius respondeu:
Pow então ajuda ai a enriquecer o texto, comenta algo que você acha que forme caráter... No começo do post tinha colocado que não quero me passar de coitadinho pois sei que tem gente que ralou bem mais do que eu...
abraços e uma cerveja gelada pra você... ;)
AC/DC comentou em 21/10/2009 às 11:02 hs
Tenho horror a morar sozinho tô com mais de 40 e na casa do papai... prefiro evitar a fadiga....he he he
Karla Karina comentou em 21/10/2009 às 13:32 hs
Morei 8 anos fora. 4 deles em Moscou. O frio e a adaptação à uma nova cultura foram importantíssimos para moldar a pessoa que sou. Lá eu aprendi o valor da amizade, do respeito aos mais velhos, a pontualidade e a educação como molde específico do ser humano e importante.
Voltar a viver no Brasil, também desenvolveu muito de meu caratér para o lado positivo. Tive que novamente me readapatar ao calor, à família (lá eu morava com meus pais).
Aos 17 anos começei a trabalhar e nunca mais parei. Foram muitos sbuempregos e atuei como vendedora, onde aprendi o senso de equipe e respeito profissionalmente flaando. Os tempos de faculdade também foram bem complicados: 2 estágios e estudo pela noite. Corria de uma lado ao outro e precisava dar conta de tudo à tempo. Eu já era mega organizada, me tornei neurótica.
Sofri de anorexia por 4 anos, tive uma crise que me levou à beira da morte com 37 kilos e anemia. Hoje recuperada (fazendo terapia e cuidando diariamente da alimentação) aprendi a valorizar à família e a comida, apesar de viver em dietas, pelo medo de ficar gorda de novo.
E por último eu saí de casa para dividir um ap com uma amiga. Eu achava que precisava crescer ainda mais e aprender principalmente à valorizar. Ali percebi o tanto que sou organizada, que apesar de tudo, convivo bem com o mundo externo ao meu e que minha mãe é sim uma boa pessoa.
Em dezembro irei morar definitivamente sozinha e as espectativas pelo menos por hoje, são as melhores.
Com todos os perrengues, faltade grana, pressão familiar, namoros que começaram e terminaram e nada me acrescentaram. Tantas coisas que aos 25 anos eu me sinto uma pessoa de 40. Mas hoje, sinto que sou um ser humano responsável e categoriacamente pontual. Gosto de ajudar ao próximo e de lutar pela realização de meus sonhos e das pessoas que eu amo.
Marina comentou em 21/10/2009 às 21:39 hs
Trabalhar na feira, aprendi a falar, a calar.
Uma vez uma professora disse que eu tinha pago uma excurção e não era verdade, e eu contei. Devo tudo a madrecita também, sempre a vejo como a grande construtora do meu caráter, fazer crianças é fácil, ensinar é raro.
Tula comentou em 22/10/2009 às 20:25 hs
Puxa, que post!!!

Bom, o que mais contribuiu para formação do meu caráter... puxa, tanta coisa, além da minha educação acredito que como a de muitos outros foi começar a trabalhar! ;)

Bjssssss...
[ rod ] ® comentou em 22/10/2009 às 21:30 hs
em 1 ano eu pedi demissão do trampo, larguei a mulher e fui morar sozinho em outro estado... começar do zero.. sem emprego, plano de saúde e grana... aprendi e me fortaleci. abs,.
Rodrigo comentou em 23/10/2009 às 20:07 hs
Não tive as mesmas experiências que você, mas, posso te dizer que provavelmente foi uma coisa muito boa para você. Abração, aguardo visitas.
Morena comentou em 24/10/2009 às 10:32 hs
Ainda melhor q o post foi a soma dele com os comentários menos daquele André ali afinal todos nós montamos nosso carater conforme passamos pelas situações da vida q n são iguais para todos nem encaradas da mesma forma. Eu podia dizer q meu carater se formou através de perdas de familiares ou amores e isso parecer ridiculo. Mas apenas eu sei o que tinha dentro de mim. Mas eu acho q ter entrado p a UFRJ e sair dela se Deus quiser formou mto do que eu sou hoje, bem como meu pai.

Beijos saltitantes
Bom fim de semana
Talita comentou em 25/10/2009 às 13:04 hs
Essas passagens deram até dó! ahahahah
Principalmente a do serviço militar, aliás, serviço militar é um dos motivos que me fazem agradecer por ser mulher! Mas enfim, o que importa é que te fizeram bem no final essas experiências então é válido, engraçado é que eu escrevi no meu post hoje sobre experiências loucas desse ano que tbm construíram meu caráter.
Muito divertido o post,
Beijão ;*
Ana comentou em 25/10/2009 às 17:05 hs
Não sei se eu aguentaria o exército.

-

E não vou trocar a cor do blog,
boa semana Vini.
JuJu comentou em 25/10/2009 às 23:13 hs
Meu caro, parabéns pelo post. E se tem uma coisa que muito contribuiu para meu caráter (só para citar uma, porque tiveram outras) foi o fato de muitos colegas meus, de escola, terem se dedicado a encher meu saco. Eu tive que ouvir e aguentar muita coisa, mas no fim das contas, saí mais fortalecida e procurei me valorizar mais, mostrando o que eu tenho de melhor.
...
Passe lá no meu blog e deixe seu comentário!!!
Gabriel comentou em 28/10/2009 às 10:56 hs
Sabe, passei e ainda passo pelo Terceiro e Segundo item.

você começa a pensar sobre muitas coisas nessa situação.

quando vc nao tem pra onde correr e embassadp.
Vinicius respondeu:
Calma que melhora
sorte ai !
bRun!nhoW comentou em 01/11/2009 às 23:24 hs
Certamente, ser Soldado EV foi a experiência que mais contribuiu para a forja do meu caráter. Quem é infante e fez CFC (Curso de Formação de Cabos) sabe bem como é quando "o filho chora e a mãe não vê" rs. 36 (trinta e seis) km de marcha com coturno molhado, mochila pesada, fuzil idem, com 10 horas de sono somadas durante uma semana de pura ralação embaixo de uma chuva interminável.
Receber os cumprimentos do General, comandante da Brigada fez eu perceber que este foi definitivamente um esforço incomum comparado aos outros anos naquele quartel. Sem falar nas amizades VERDADEIRAS que conquistei no quartel, a história do "na hora das dificuldades é..." é real, tenho certeza de que você sabe bem o que é isso, ter alguêm pra te puxar do fosso, alguêm pra te emprestar a bandoleira, alguêm pra te emprestar o Kit de Mnt de Armt .... rsrs

Isso tudo me motivou a estudar, e passar no exame para admissão na EsSA (Escola de Sargento das Armas) da qual eu saí em boa colocação e consegui por nota voltar para minha cidade como 3º Sgt Art de carreira.
Agora curso minha faculdade com salário razoável e carreira estável, morando sozinho e sofrendo como todos que o fazem heaeuhasuhe

Pois bem, Serviço Militar Obrigatório me transformou de muleque em Homem, além de Militar Exemplar, humildemente falando..óbvio iauehiushiaeuh

Abraços.
Vinicius respondeu:
Porra já tá como sargento rsrs
depois que terminar a facul vira oficial eim hehe
sorte ai e abraços
Esyath Barret comentou em 05/11/2009 às 12:59 hs
Vinícius... entrei e ia saindo quando prestei mais atenção ao que você passou... Caramba, sinceramente, sei que não sou metade do que você é... por exemplo, no fundo, acho que meu maior problema atualmente é medo de seguir adiante e perder o pouco do conforto e da segurança previsível que tenho em casa... Mas sei que em breve terei que partir... e me pergunto... saberei ser forte o suficiente para fazê-lo, e para não me arrepender? - rs.
Espero que sim... é que fico pensando... é muito fácil ter ideais e boas intenções quando não se passou necessidades de verdade que modifiquem você... mas e quando eu estiver completamente só? O que acontecerá com todos estes ideais, verdades e boa-vontade? - rs.
Hum... o que me tornou uma pessoa melhor? Acho que a conduta da minha mãe... e da minha avó... ambas foram e são exemplos do que é ter firmeza de caráter sem desistir mesmo diante de tantos obstáculos obscuros e decepcionantes e enlouquecedores ou apenas intoleráveis... Mesmo diante da falta de dinheiro, do sofrimento, da saudade ou da solidão... não esmoreceram... não desistiram. E no fim, conseguiram grandes resultados.
Fora isso... não sei bem... apenas sou como sou. - rs.

Beijos (Des)conexos!
Foi um prazer!
Vinicius respondeu:
Ahn o prazer foi todo meuu rsr
Sérgio comentou em 07/11/2009 às 04:41 hs
É rapaz, entendo o passar fome. No primeiro ano em que morava sozinho, acontecia exatamente o que você falou: sobrava mês. E também ficava com vergonha de pedir algo pros meus pais.

Mas o pior não é isso. Eu sofro de um problema no estômago e já fiquei inúmeras vezes tão doente que mal conseguia mudar de posição na cama, quanto mais ir ao médico. Já cheguei a desmaiar e acordar dois dias depois. HAAHHAAHAH

Some tudo isso ao fato de morar em Brasília, onde o custo de vida é altíssimo e é tudo extremamente longe. Aqui não existe essa de morar perto do trabalho ou da universidade. E pessoas sem carro, como eu, não ficam numa posição privilegiada, pois o transporte público é terrível. E acho que mesmo se tivesse carro a coisa não ia melhorar, afinal, não existem mais vagas. Não é fácil morar numa cidade projetada para 500 mil habitantes, que hoje abriga 2 milhões e 600, - a quarta maior do país.

Excelente blog, pessoal. Excelentes posts!
Maria Olivia comentou em 20/11/2009 às 10:26 hs
Sei bem como é isso, e realmente acontece algumas coisas comigo, e tive alguns servviços cortados( eles tiram sem pena viu?)tava com pouco dindim e tinha que optar ou paga ou come...claro q comprei comida e tem aquela história amanhã eu pago, eles não vão corta hj não,tenho certeza, certeza eu tive quando cheguei do trabalho a noite e estava lá, na escuridão, cozinha molhada por causa da geladeira descongelada, aiiiii, se aquela criatura q fez isso comigo aquele dia aparecesse na minha frente...naquela horaa...ele ia exugar o chão da cozinha limpar a geladeira e me levar p/ casa da minha tia...
nanuni kokoritu comentou em 19/12/2009 às 11:51 hs
O Exército do jeito que está hoje acho que seria pedir demais.
As outras opções acho que seriam tranquilas.
Vinicius Respondeu:
heh o Exercito hoje está pegando mais leve com os recrutas!
James comentou em 30/12/2009 às 05:25 hs
O exército moldar caráter é uma lenda antiga.
Passei 5 anos naquela droga, e além disso tudo ganhei uma mixaria.
O sistema de hierarquia se assemelha as fraternidades norte-americanas. Primeiro você é maltratado até não poder mais(submisso). Depois maltrata os novatos até não poder mais(sádico). É um cabo de guerra com outras Polícias como polícia militar ou civil. Mesmo errado (dirigir embriagado/drogado) você aprende a humilhar PMS: "você não tem o direito de me prender ou tocar em mim seu corrupto".
Sempre tem um sargento/cabo FDP.
O que te torna um homem de fato é controlar seu dinheiro, se gastar com roupa não come. Se comer não tem carro/moto. Se andar de carro/moto que o faça pelado ou em trapos, abraços.
Vinicius respondeu:
Opiniões a parte acho que isso acontece mesmo ..
mas no meu caso como não segui carreira me ajudou sim..
Fabiano comentou em 15/03/2010 às 23:40 hs
No meu caso, morar no japão sozinho por 2 anos sem saber o idioma local me ajudou a eliminar o adolescente que eu tinha ainda "em conserva" dentro de mim e me fez dar um passo a frente.
Agradeço a experiencia.^^
Isadora comentou em 19/06/2012 às 23:55 hs
moro sozinha a um tempao e ja passei por muito perrengue também...alguns nao tem mto como contornar...mas descobri um site e agora nunca mais fico sem bebida! www.mandapracasa.com.br

bjs
Blog Morando Sozinho - Por Vinicius de Oliveira - Desde 2007